MATRIZ DE NOSSA SENHORA DO ROSÁRIO DE PADRE VIEGAS

Conselho Municipal do Patrimônio Cultural COMPAT Mariana Minas Gerais
Matriz de Nossa Senhora do Rosário de Padre Viegas.
 

Antônio Rodrigues Chaves e sua mulher Helena Maria de Jesus chegaram ao Córrego do Crasto a 6 de outubro de 1705 com vasta criadagem. Ali se estabeleceram, fundando a Fazenda do Paneleiro e a Capela de Santa Efigênia.

Foi esse o início do Arraial do Sumidouro, do qual se dizia ser de tão boa qualidade o ouro que lhe chamavam "sumo d'ouro", daí o nome do lugar. Como os demais povoados da região, tornou-se um importante núcleo de mineração.

A Igreja Matriz teve a construção iniciada em 1737, indo as obras até 1745. Foi tornada colativa em 1752. 

Mais tarde passou a se chamar Padre Viegas, homenagem ao padre José Joaquim Viegas de Menezes, que lá nascera em 1778 e é considerado o precursor da imprensa brasileira. 

Conselho Municipal do Patrimônio Cultural COMPAT Mariana Minas Gerais
Interior da nave da Matriz de Nossa Senhora do Rosário de Padre Viegas.
 

No ano de 2014 foi feito o restauro e pintura do templo com recursos liberados pelo Conselho Municipal do Patrimônio - COMPAT no valor de R$ 447.000,00, a partir do Fundo Municipal de Preservação do Patrimônio Cultural.

Estuda-se agora a recomposição dos elementos artísticos-arquitetônicos do interior de sua nave.

A Igreja Matriz de Nossa Senhora do Rosário teve o seu tombamento a nível municipal determinado pelo Conselho Municipal do Patrimônio  - COMPAT em dezembro de 2016.

Ver DECRETO Nº 8.643 DE 01 DE DEZEMBRO DE 2016.

Conselho Municipal do Patrimônio Cultural COMPAT Mariana Minas Gerais